Portal do Cooperativismo Financeiro Rio Grande do Sul é o estado onde o cooperativismo de crédito é mais forte - Portal do Cooperativismo Financeiro

Rio Grande do Sul é o estado onde o cooperativismo de crédito é mais forte

Clique sobre a imagem e veja os dados de todo o país

Pioneiro no cooperativismo de crédito no País, o Rio Grande do Sul é o estado brasileiro que possui a maior parte da população ligada ao segmento. Cerca de 1,2 milhão de gaúchos (17,3% da população economicamente ativa) são associados a uma cooperativa de crédito.

Em relação à cobertura territorial, dos 496 municípios do Estado, 439 possuem pontos de atendimento de cooperativas de crédito (89%).

Apenas Santa Catarina (com 88% de seus 293 municípios) tem um índice maior que o Rio Grande do Sul.

.

Origem rural

A importância do setor deve-se, principalmente, à história da colonização do Estado, onde os pequenos produtores importaram modelos associativistas europeus para resolver as dificuldades de obter financiamentos junto aos bancos tradicionais. “O mundo cooperativo na Europa não nasceu da agricultura, mas do crédito. As primeiras cooperativas surgiram como um meio de alavancar recursos para pequenos agricultores e empresários“, explica Vergílio Périus, presidente da Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul (Ocergs). No total, o Estado possui 118 cooperativas de crédito, que representam cerca de 10% do sistema financeiro gaúcho.

.

Sicredi ultrapassou as fronteiras do Estado

Com 1,75 milhão de associados em todo o País e administrando um total de recursos de R$ 21 milhões, o Sicredi (Sistema de Crédito Cooperativo) é o maior caso de sucesso na história do cooperativismo gaúcho. Fundada nos anos 1980, a partir da união de diversas cooperativas de crédito rural do Interior do Estado, a instituição espalhou-se por outros estados, acompanhando as migrações de produtores gaúchos para o Centro-Oeste e Norte do País.

Hoje, o sistema compreende 119 cooperativas singulares, 5 cooperativas centrais, a holding Sicredi Participações (SicrediPar), bem como as empresas e entidades por esta controladas, entre elas o Banco Cooperativo Sicredi.

Segundo Orlando Müller, presidente da Central Sicredi Sul, o crescimento da instituição só foi possível com a atitude implementada, a partir do final da década de 1990, de buscar associados no meio urbano. “Não existe sistema cooperativo no mundo que seja alicerçado num só setor da economia, porque ele concentra riscos e tem problemas de sustentabilidade“, explica.

Atualmente, o Sicredi expandiu suas atividades para muito além do crédito rural. A instituição oferece financiamentos para diversas finalidades, desde aquisição de veículos a compra de material escolar e de pacotes turísticos. Para empresas, são ofertados serviços de antecipação de créditos do Bndes, capital de giro, antecipação dos recebimentos de vendas a prazo e até mesmo operações de câmbio para exportação e importação.

A importância do Sicredi chegou a ser notada por instituições internacionais. Em 2010, a Rabo Financial Institutions Development, braço de desenvolvimento do grupo financeiro holandês Rabobank, adquiriu participação acionária de 30% no Banco Cooperativo Sicredi. A parceria deve proporcionar o intercâmbio de informações e conhecimento. Além de ampliar o portfólio de produtos do Sicredi nos segmentos onde o Rabobank tem expertise, entre eles, o financiamento agrícola.

Os planos de crescimento também estão voltados para a atuação em seu estado de origem. Atualmente, dos 496 municípios gaúchos, apenas 61 não possuem um ponto de atendimento do Sicredi. De acordo com Müller, em quatro anos a instituição pretende alcançar todas as cidades gaúchas.

Fonte: Jornal do Comércio (RS) – Edição de 28/03/2011

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.