Portal do Cooperativismo Financeiro Mesmo com corte na Selic, Brasil tem terceira maior taxa de juros do mundo - Portal do Cooperativismo Financeiro

Mesmo com corte na Selic, Brasil tem terceira maior taxa de juros do mundo

Posição na lista de juros reais só cairia com corte de 0,75 ponto percentual. Brasil tem juros reais de 2,3% e nominais de 8%, sendo 3º nas duas listas.

Mesmo com o corte de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros, definido na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) desta quarta-feira (11), o Brasil tem o terceiro maior juro real e também nominal do mundo, segundo o ranking dos juros reais da Cruzeiro do Sul Corretora.

Para sair dessa posição, segundo simulação da corretora, seria preciso que o Copom reduzissem em pelo menos 0,75 ponto percentual a Selic na reunião desta quarta. Com isso, o país cairia para a quarta posição entre os com maior juros, de 2,1% – trocando de lugar com o Chile.

Taxas de juros reais dos três países com maior índice:

  • China 3,7%
  • Rússia 3,5%
  • Brasil 2,3%

Em juros reais, que é calculado considerando as taxas de juros atuais descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses, os juros brasileiros são de 2,6% – contra 2,8% antes do corte. Em primeiro lugar está a China (com 3,7%) e em segundo está a Rússia (com 3,5%).

No ranking dos juros nominais o Brasil fica em terceiro, agora com a taxa de 8% ao ano, atrás da Venezuela (15,65%) e da Argentina (9%).

O ranking mundial de juros reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas pelos respectivos bancos centrais e as projeções médias de inflação futura.

Decisão do Copom

O corte desta quarta, foi o oitavo consecutivo na taxa Selic, que começou a recuar em agosto do ano passado. Com a decisão do BC, foi “renovada” a mínima histórica – ou seja, os juros atingiram o menor patamar já registrado em toda a série histórica do Banco Central, que começa em 1986. Até o momento, a menor taxa apurada era justamente de 8,5% ao ano.

Fonte: G1

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.