Portal do Cooperativismo Financeiro As Instituições Financeiras Cooperativas Alemãs: Governança - Portal do Cooperativismo Financeiro

As Instituições Financeiras Cooperativas Alemãs: Governança

Na Alemanha, assim como em qualquer outra cooperativa do mundo, a base são os associados, que elegem delegados para representa-los nas Assembleias. São os delegados que elegem o CONSELHO DE SUPERVISÃO (Supervisory Board), formado por 3 pessoas, equivalente ao Conselho de Administração das cooperativas brasileiras.

Os DELEGADOS são escolhidos tanto em relação à distribuição geográfica como pelo ramo econômico ou profissional. Sua eleição é normalmente realizada no próprio ponto de atendimento, não havendo uma assembleia para escolha dos mesmos. O associado que tem interesse de ser delegado deve se inscrever junto à cooperativa e, após terminado o prazo de inscrições, cada associado tem o direito de votar na chapa em que constam os candidatos. O associado tem como opções aprovar toda a chapa, ou aprova-la destacando aqueles nos quais não quer votar. Os delegados normalmente são lideranças locais, como prefeitos, comerciantes e presidentes de entidades. A eleição dos delegados não é obrigatória e por isto são poucos os associados que participam deste processo de escolha.

O Conselho de Supervisão não tem funções administrativas, o que faz com que os conselheiros eleitos compareçam a cooperativa apenas quando existe algum assunto a ser discutido ou por ocasião da reunião do conselho. Atualmente, não existem exigências mínimas para se tornar um membro do Conselho de Supervisão, fato que tem gerado discussões considerando-se a complexidade das atividades bancárias. O mandato dos conselheiros é de cerca de 3 anos e por ser uma função honorífica eles recebem cédula de presença, a título de ressarcimento de custos.

Já os DIRETORES (executivos), são contratados pelo Conselho de Supervisão, sendo responsáveis pelos negócios da cooperativa. A Diretoria deve ser formada por no mínimo 2 pessoas, havendo a segregação entre a área de mercado (comercial) e o back-office, atendendo ao chamado “princípio dos 4 olhos”. Os diretores tem um vínculo forte com o Conselho de Supervisão, mas a última palavra sobre a estratégia e execução cabe aos diretores. Os diretores tem dedicação exclusiva e reportam-se exclusivamente ao conselho, salvo em caso de dificuldades.

Em relação às estratégias, a BVR (Federação Nacional dos Bancos Cooperativos) elabora o planejamento sistêmico e as grandes metas. Já a estratégia individual da cooperativa é definida pelos diretores.

 

Por Márcio Port – autor do Portal do Cooperativismo de Crédito

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.