Portal do Cooperativismo Financeiro Bancos cooperativos crescem e figuram entre os 20 maiores - Portal do Cooperativismo Financeiro

Bancos cooperativos crescem e figuram entre os 20 maiores

As operações das cooperativas de crédito estão cada vez mais semelhantes às dos bancos de varejo e cada vez mais distantes do crédito rural que as originou. Os dois bancos cooperativos do país, detidos por grupos de cooperativas, têm hoje um tamanho que se compara a bancos médios e os situa entre as 20 maiores instituições financeiras do país. O Banco Cooperativo Sicredi finalizou 2013 com ativos totais de R$ 23,812 bilhões, enquanto o Bancoob terminou o ano com R$ 18,112 bilhões. Com base nesse critério, o tamanho desses dois bancos se aproxima, por exemplo, de bancos médios como o Pan e o ABC Brasil, que tinham em dezembro ativos totais de R$ 21,725 bilhões e R$ 17,267 bilhões, respectivamente.

Na avaliação de dirigente do Bancoob, a expansão nos últimos anos acompanha o crescimento das cooperativas de crédito e se sustenta, principalmente, pela timidez da política de crédito dos bancos privados, que modificaram a composição de suas carteiras nos últimos anos e cederam espaço para as cooperativas. “As cooperativas não fecharam as carteiras em momento nenhum e mantiveram o ritmo das operações de crédito nesse período e, por isso, ganharam market share“, afirma o diretor-presidente do Bancoob, Marco Aurelio Borges de Almada Abreu. Ao buscarem crédito nas cooperativas, os cooperados acabam também por trazer toda a sua movimentação bancária para as instituições, o que também explica o aumento dos depósitos.

No caso do Bancoob, entre 2009 e 2013, os depósitos subiram 284% de R$ 3,552 bilhões para R$ 13,657 bilhões, enquanto as operações de crédito caminharam de R$ 2,408 bilhões para R$ 6,688 bilhões, uma expansão de 178%. O saldo de ativos evoluiu 166% nesse intervalo.

Para o Banco Cooperativo Sicredi, além do crescimento das cooperativas filiadas ao Sicredi, a expansão do banco se dá por conta da ampliação do portfólio de produtos e serviços, revisão de processos, redução de custos, ganhos de eficiência e gestão de risco. Os depósitos do Banco Cooperativo Sicredi tiveram expansão de 126% entre 2009 e 2013, saltando de R$ 4,784 bilhões para R$ 10,812 bilhões, enquanto as operações de crédito saltaram 198,2% de R$ 3,659 bilhões para R$ 10,912 bilhões. Os ativos, por suas vez, cresceram 161,8%.

Os dois bancos são detidos pelos dois maiores sistemas de cooperativas, o Sicredi e o Sicoob. Os sistemas também mostraram crescimento no mesmo período e oferecem hoje serviços que são muito semelhantes aos ofertados pelos bancos de varejo, incluindo serviços online, cartões de crédito e débito, fundos de investimento, depósitos a prazo, poupança, caixa eletrônico, seguros, previdência, etc. Nesse contexto, os bancos cooperativos têm papel fundamental pois servem de instrumento para que as cooperativas acessem o mercado financeiro, buscando, por exemplo, recursos de terceiros para financiar as demandas dos cooperados, incluindo repasses do BNDES, linhas para a atividade rural, financiamento no exterior etc.

Os bancos cooperativos surgiram após a extinção do Banco Nacional de Crédito Cooperativo (BNCC), que, na década de 90, era o banco responsável pelas operações das cooperativas de crédito. Em 1995, uma resolução do Banco Central garantiu a criação de bancos cooperativos, que poderiam atuar sob o controle de cooperativas centrais de crédito e deviam deter, pelo menos, 51% de suas ações com direito a voto.

Com esses bancos na retaguarda, Sicredi e Sicoob investem na ampliação de seus serviços. Para o segundo semestre, o Sicoob, junto com o Bancoob, vai investir na oferta de uma carteira de financiamento imobiliário e em fundos de investimento de varejo. “Estamos na fase de preparação operacional dessas plataformas”, disse o diretor presidente do Bancoob, explicando, porém, que a entrada em crédito imobiliário deve ser modesta ao longo de 2014.

Para este ano, porém, quando se fala em novos negócios, a grande expectativa para o Bancoob está no chamado negócio de adquirência, de captura das transações com cartões de crédito e débito. Em janeiro, o banco anunciou uma parceria com a processadora First Data. Juntas, as duas empresas esperam ter entre 5% a 10% do mercado brasileiro de pagamentos eletrônicos até o fim de 2018. O banco ainda está estruturando a operação com a parceira, mas espera um promissor segundo semestre. “Imagino que vamos ter um ritmo de crescimento maior com esses negócios porque temos duas frentes de venda, a nossa e a da First Data”, destacou.

O Sicredi também está investindo no financiamento imobiliário. O diretor-executivo de produtos e negócios do Banco Cooperativo Sicredi, Edson Nassar, explica que o investimento nessa linha faz parte da estratégia das cooperativas de oferecer um portfólio de serviços completo aos cooperados. “Não será o nosso carro-chefe no momento, mas o crédito imobiliário será um produto complementar à grade de serviços e produtos que oferecemos”, afirmou. Ele conta que nos últimos cinco anos o Sicredi e o banco investiram em tecnologia, incluindo novas plataformas e canais transacionais para garantir que os cooperados tivessem acesso a novos serviços.

A expansão do portfólio de serviços é também uma forma de atender à mudança da atuação das cooperativas, que não estão mais concentradas apenas no meio rural. Até 1992, a regulamentação que as regia limitava suas operações ao setor agropecuário. Hoje, apesar do crédito rural ainda ser foco, as cooperativas ampliaram o atendimento. “Não diminuiremos o nosso crescimento no meio rural, mas para atender o público urbano é necessário ter novos produtos na carteira“, diz o presidente-executivo do Sicredi, Ademar Schardong.

Hoje o Bancoob atende as 521 cooperativas do sistema Sicoob, que tem 2.178 agências e 2,7 milhões de cooperados. As cooperativas do sistema estão presentes em todos os estados, com exceção de Sergipe, Ceará e Roraima. O Banco Cooperativo Sicredi sustenta as operações do Sicredi, que tem 100 cooperativas de crédito, 1.258 pontos de atendimento e 2,5 milhões de associados. As cooperativas do sistema estão no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Pará, Rondônia e Goiás.

Fonte: Valor Econômico

2 Comentários em Bancos cooperativos crescem e figuram entre os 20 maiores

  1. Tenho certeza que dentro de pouquíssimo tempo seremos muito maiores entre os Bancos e possivelmente estaremos com certeza entre os 5(cinco) maiores Bancos do Brasil.

  2. Excelente notícia que confirma que o Cooperativismo Financeiro é a melhor alternativa para agregar renda, gerando desenvolvimento social e econômico às comunidades! Se forem considerados os demais Sistemas Cooperativos (CECRED, UNICRED, CONFESOL, UNIPRIME, outros) os números serão ainda mais expressivos!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.