Crescimento do cooperativismo financeiro impulsiona procura por qualificação

O cooperativismo financeiro cresce de forma significativa no Brasil. Segundo dados do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), o número de cooperados aumentou 198,4% em 10 anos, passando de 3,21 para 9,58 milhões entre 2007 e 2017. Entre os fatores que têm impulsionado o segmento, destacam-se a constituição do FGCoop, que confere maior segurança aos investidores e depositantes, bem como o crescimento do número de unidades de atendimento cooperativo.

Segundo Ênio Meinen, diretor de operações do Bancoob e professor do MBA USP/Esalq em Gestão em Cooperativas de Crédito, essa evolução favorável levou à contratação de muitos profissionais, que passaram a somar esforços para o desenvolvimento do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo. “Não somente ingressantes como também profissionais que atuam há mais tempo se deparam com os desafios de um mercado complexo, competitivo e altamente regulamentado. Por isso, é muito importante que cooperados e colaboradores busquem atualização e conhecimentos específicos”, afirma Meinen.

Governança Cooperativa

Os desafios enfrentados pelo segmento, em uma trajetória ascendente e repleta de conquistas, colocam em evidência aspectos como experiência, formação acadêmica e uma boa gestão. A própria legislação brasileira, através da Lei Complementar n° 130, de 2009, recomenda a adoção das melhores práticas de governança, o que envolve uma clara separação entre a gestão estratégica e a direção executiva, bem como a instituição de órgãos de controle e fiscalização.

A separação entre a gestão estratégica e a execução das operações (realizadas pelo conselho de administração e pela diretoria executiva, respectivamente) é obrigatória para cooperativas plenas e clássicas cujo volume médio de ativos, nos três últimos exercícios, tenha atingido R$ 50 milhões.

De acordo com Meinen, as práticas de governança cooperativa também têm sido adotadas por um bom número de entidades de segundo e terceiro níveis (centrais e confederações) que, mesmo não tendo essa obrigação, reconhecem a sua importância ao longo de todo o sistema. Em um contexto de crescente profissionalização por parte das cooperativas de crédito, nada mais natural que a busca por novos conhecimentos e competências, que sejam úteis aos colaboradores e dirigentes engajados no movimento.

“Entre as iniciativas de formação acadêmica, destaca-se o curso de MBA em Gestão de Cooperativas de Crédito oferecido pela USP/Esalq, cuja programação abrange o contexto institucional e econômico do cooperativismo, as ferramentas de apoio à gestão e a gestão da operação propriamente dita”, conclui Meinen.

Sobre o MBA USP/Esalq

O MBA USP/Esalq em Gestão em Cooperativas de Crédito é um curso de pós-graduação lato sensu da Universidade de São Paulo, oferecido na modalidade EaD (ensino a distância), com duração de 18 meses. O curso é voltado a profissionais que já atuam na área de cooperativas ou planejam trabalhar no setor.

Para mais informações sobre o curso, acesse https://mbauspesalq.com/pt/

2 Comentários em Crescimento do cooperativismo financeiro impulsiona procura por qualificação

  1. Estou cursando este MBA. O curso vem contribuindo muito para a prática na singular onde atuo. Grade excelente e professores extremamente preparados. Recomendo!

  2. A qualificação é cada mais uma necessidade para que tenhamos dirigentes altamente capacitados para um Gestão de plena confiança por parte do Quadro Social. A formação de novos dirigentes também é uma enorme necessidade para que quando houver necessidade de substituição novos associados possam se apresentar. Estes processos sucessórios as vezes travam por não termos associados prontos para Gestão.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.