Portal do Cooperativismo Financeiro Sistema Raiffeisen - Portal do Cooperativismo Financeiro

Sistema Raiffeisen

Raiffeisen e DelitzschModernos sindicatos de crédito datam de 1852, quando Franz-Hermann Schulze Delitzsch consolidou a aprendizagem a partir de dois projetos-piloto, em um Eilenburg e outro em Delitzsch na Alemanha que são geralmente reconhecidos como os primeiros sindicatos de crédito no mundo. Ele passou a desenvolver um grande sucesso urbano servindo a comerciantes, artesãos e proprietários de lojas.

Em 1862 Friedrich Wilhelm Raiffeisen fundou a primeira cooperativa de crédito rural em Anhausen (agora parte de Neuwied), na Alemanha. Embora Schulze-Delitzsch pode reivindicar precedência cronológica, Raiffeisen é muitas vezes visto como mais importante hoje. As comunidades rurais na Alemanha enfrentavam uma severa escassez de instituições financeiras. As Cooperativas eram muito pequenas com sazonalidade dos fluxos de caixa e limitados recursos humanos. Os membros das cooperativas de Raiffeisen eram geralmente mais pobres do que seus contemporâneos urbanos. Muitos eram ex-servos, libertados em diversas partes da Alemanha entre 1800 e 1848.

Os métodos organizacionais (ROSCA – ver parágrafo abaixo) de Raiffeisen criaram o hoje conhecidocapital social, tornando uma característica marcante da identidade das cooperativas de crédito. A abordagem da Raiffeisen foi construída sobre muitos aspectos da Schulze’s, mas com modificações significativas que tiveram implicações importantes para o microfinanciamento.

Enquanto Schulze poderia utilizar, em grande medida, uma abordagem comercial, a abordagem do Raiffeisen abordou o único problemas das populações rurais pobres em grande parte por explorar as fortes laços de solidariedade (ROSCA) e profundos valores cristãos na aldeia típica. Por exemplo, para contornar as pequenas e irregulares disponibilidades de dinheiro nas comunidades rurais, as cooperativas esperavam de seus administradores o trabalho voluntário, com apenas os caixas recebendo um pequeno pagamento. Sacerdotes, professores e demais moradores foram instruídos a servir muitas vezes inspirados pelos valores cooperativistas do movimento de Raiffeisen.

Considerando-se as características dos associados de Raiffeisen, pobres agricultores, as operações de crédito tinham como principal característica o microcrédito por tratarem-se de operações de crédito de baixo valor (inferior a US$ 1.000,00) onde os agricultores não tinham garantias a oferecer para a Cooperativa. Nesta época desenvolveu-se a ROSCA (Rotating Savings and Credit Association) ou Associação de Crédito Rotativo e Economias que tinha sua dinâmica muito semelhante ao atual produto “Consórcio”, onde mensalmente todos contribuiam com um valor igual de forma que um dos membros do grupo pudesse utilizar a totalidade dos recursos arrecadados. O grupo tinha vida útil reduzida, não superior a 6 meses, o que diminuia em muito o risco de inadimplência. Mensalmente todos se reuniam para analisar o andamento da ROSCA dando assim transparência para todos.

Na época de sua morte em 1888 as cooperativas Raiffeisen tinham se espalhado para Itália, França, Holanda, Inglaterra e Áustria, entre outras nações.

Em 1913 por mais de 2 milhões de alemães eram associados de cooperativas de crédito. Destes, 80% viviam em comunidades com menos de 3000 habitantes. Esta distribuição contradiz os argumentos dos céticos que argumentavam que as pessoas pobres não reembolsariam os seus empréstimos, e que nenhum banco poderia fazer um lucro servindo os pobres Alemães.

O nome Raiffeisen ainda é utilizado pelo Raiffeisenbank, o maior grupo bancário da Áustria (com filiais em toda a Europa Central e Oriental), Rabobank (Holanda) e também é o nome de cooperativas agrícolas na Alemanha.

LEITURAS ADICIONAIS

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.