Portal do Cooperativismo Financeiro A evolução da estrutura do Movimento de Desjardins, no Canadá - Portal do Cooperativismo Financeiro

A evolução da estrutura do Movimento de Desjardins, no Canadá

Movimento de Desjardins

Ainda na HEC Montreal, o Sr. Benoit Tremblay, Diretor do Centro de Estudos Desjardins, falou do Movimento de Desjardins e de sua evolução ao longo dos seus mais de 110 anos de história.

A 1ª cooperativa surgiu em 6 de dezembro de 1900 em Levis, no Quebec. O desenvolvimento inicial de Desjardins foi muito lento. Apenas em 1906 foi feita a primeira lei do estado de Quebec.

Desjardins criou as cooperativas apenas com a capitalização dos sócios, não podendo assumir muitos riscos. Ele contou muito com a igreja católica, que apoiava muito mais a poupança do que os empréstimos. Primeiro a pessoa deveria poupar para apenas depois tomar crédito.

Caixa Central das Cooperativas de Desjardins, em Montreal

A primeira Central das Caixas surgiu em 1920, sendo divididas de acordo com a distribuição das dioceses católicas. O poder regional sempre estava ligado aos padres, das dioceses regionais. As uniões regionais trabalhavam cada uma por si, sendo que em 1932 surgiu a federação, após a falência de várias cooperativas depois da crise de 1929. A Federação surgiu da vontade do governo de proteger os poupadores.

Até 1980 o número de cooperativas de Desjardins apenas cresceu, atingindo 1.372 nesta década, com 4,5 milhões de associados. No ano de 2000 este número era de 972 e atualmente é de 451 com 6 milhões de associados.

O volume de ativos de Desjardins era muito pequeno até 1975, crescendo muito depois disto, refletindo o aumento do poder aquisitivo da população do Canadá.

Até 1950 os associados de Desjardins e os clientes dos bancos não eram comuns entre si, não havendo sobreposição de atuação. A partir de 1950, com o crescimento econômico do Canadá, os bancos começam a se interessar pela classe média. Entre 1950 e 1970 Desjardins se tornou um sucesso coletivo. Nesta época Desjardins adquiriu o controle de cerca de 15% de um pequeno banco de Quebec.  Também nesta época instituições não bancárias foram autorizadas a ingressar no sistema de pagamentos, inclusive as sociedades seguradoras que podem inclusive oferecer fundos de investimento.

Entre 1970 e 1990, com a estabilidade do mercado, a clientela das cooperativas começa a interessar cada vez mais os grandes bancos, trazendo Desjardins para um mercado muito competitivo. Atualmente o mercado é praticamente único, havendo diferença apenas em um número de aproximadamente 500 pequenas cidades em que Desjardins é a única instituição financeira. Aliado a isto Desjardins tem muitos estudantes como associados e também públicos de baixa renda, tendo pouca expressão com pessoas de maior renda e com grandes empresas.

Benoit Tremblay, Diretor do Centro de Estudos Desjardins

Em 1967 houve a desregulamentação das taxas de juros do Canadá, permitindo os bancos a definir suas práticas de mercado. Isto promoveu um grande e rápido crescimento das operações de crédito. Para competir no mercado as cooperativas passaram a atuar de forma mais integrada, diminuindo a autonomia das cooperativas em busca de uma padronização tecnológica, de produtos, de políticas e de treinamentos. Isto aconteceu através da Federação Desjardins.

Na década de 70 a IBM ingressou no mercado financeiro sendo que Desjardins foi o primeiro grupo financeiro que a IBM passou a atender, promovendo a integração de todas as cooperativas. Já na década de 70 os associados podiam fazer transações financeiras e utilizar o seu cartão de débito em qualquer parte do país. Com isto, já na década de 80 Desjardins tinha como associados 67% da população adulta de Quebec. O Movimento Desjardins foi agente-chave no desenvolvimento de Quebec, sendo que o governo quebequense adequou a legislação às necessidades de mercado, mas também às necessidades de Desjardins.

Na década de 80, com o aumento das operações de crédito as cooperativas compensaram o aumento do risco com a capitalização. Surge aí o fundo garantidor de Desjardins e a transformação da capitalização de Desjardins.

O acirramento da concorrência fez também com que no período de 1987 a 1994 houvesse a aquisição de 26 bancos de investimentos por 7 instituições bancárias de varejo, todas canadenses. Este fato fez com que a crise financeira de 2008 não fosse percebida no Canadá pois a crise afetou fortemente os bancos de investimento, bancos estes que já não existiam no Canadá. Nesta época Desjardins já tinha 1.339 cooperativas e por já estar presente em todo o mercado de Quebec não lhe interessou fazer a aquisição de nenhum banco de investimento.

A partir de 1990, com a evolução do crédito no país e com a evolução do mercado financeiro, Desjardins também precisou evoluir:

  • na informatização,
  • na prestação de consultoria para os associados
  • e buscar que 75% dos funcionários atuassem em tarefas com maior valor agregado (na época o índice era 5%). O desafio foi transformar os funcionários de perfil administrativo em vendedores.

Para isto houve um forte investimento na formação educacional e profissional dos funcionários. Tornou-se necessária também a maior integração entre as cooperativas integrantes do movimento. Na época a participação de mercado era de 42% nos depósitos e 38% nos empréstimos hipotecários.

Como nem todos os objetivos foram possíveis de se atingir e haviam muitos investimentos de informática a serem feitos, houveram fusões de muitas cooperativas buscando a redução de custos. Neste período a quantidade de cooperativas reduziu-se em mais de 50%. Foram realocados pontos de serviços e instalados caixas automáticos no lugar de antigos pontos de serviços.

Atualmente 92,7% de todas as transações do Movimento Desjardins são eletrônicas.

Por Márcio Port, direto de Montreal no Canadá

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.