Portal do Cooperativismo Financeiro Cooperativismo Brasileiro e Onu Unem Forças em Prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS - Portal do Cooperativismo Financeiro

Cooperativismo Brasileiro e Onu Unem Forças em Prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS

cooperativismo brasileiro e ONU unem forçasSão Paulo (6/3/17) – “Se analisarmos o cooperativismo com profundidade, veremos que seus valores e princípios podem ser traduzidos nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas.” Com esta frase, Márcio Lopes de Freitas marcou sua participação na abertura do seminário internacional “O Cooperativismo e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – Combinando Impacto Econômico e Social por um Futuro Melhor”.

O evento, que ocorreu hoje, em São Paulo, é promovido pela OCB, Ocesp e Sistema Unimed, com o apoio da Aliança Cooperativa Internacional. O seminário teve por objetivo discutir um plano de ação que o setor cooperativista deve colocar em prática nos próximos anos, a fim de contribuir com o alcance dos ODS da ONU.

A cerimônia contou ainda com a participação do presidente da Unimed Brasil, Eudes Freitas de Aquino; Edivaldo Del Grande, presidente da Ocesp; Monique Leroux, presidente da ACI, e Ramon Imperial, presidente da ACI Américas. Entre as autoridades da política nacional, marcaram presença o senador e recém-anunciado ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes; o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim; além do deputado federal Lelo Coimbra (ES). Lideranças políticas altamente reconhecidas pelo grande apoio que prestam às causas do setor cooperativista no âmbito governamental.

Aos mais de 200 presentes, dentre eles presidentes de diversas organizações estaduais da OCB, e, ainda, representantes de cerca de 30 países, o presidente da OCB, Márcio Freitas, ressaltou a relação entre os ODS e o DNA cooperativista. “A cooperativas já praticam o desenvolvimento sustentável. O problema é que não estamos sabendo mostrar isso ao mundo. Precisamos aproveitar essa adesão às metas da ONU para divulgar com mais eficácia, para sermos reconhecidos por aquilo que já fazemos de melhor, que é melhorar a vida das pessoas”, disse o presidente da OCB.

ENGAJAMENTO POLÍTICO

“Temos uma obrigação importante de conduzir ao governo e ao parlamento pessoas que olhem para o nosso setor e contribuam com o seu desenvolvimento. Assim, nos tornaremos cada vez mais fortes no cumprimento da nossa missão.” Edivaldo Del Grande, presidente da Ocesp.

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

“O cooperativismo brasileiro é reconhecido internacionalmente como sério, pujante, ativo e devemos, cada vez mais, tê-lo como uma mola para o desenvolvimento do país.” Aloysio Nunes, ministro das Relações Exteriores.

FORÇA ECONÔMICA

“O cooperativismo é um dos movimentos econômicos mais fortes do país. Sua contribuição para a pauta econômica é marcante. Vale lembrar, por exemplo, que 50% do transporte de cargas no Brasil, hoje, é cooperativado.” Lelo Coimbra, deputado federal (ES).

EMPREENDEDORISMO

“Fico feliz que a ACI esteja colocando o desenvolvimento sustentável como uma meta, contribuindo para que tenhamos um mundo com menos monopólios e oligopólios. O cooperativismo, apesar de manter viva a iniciativa do empreender, propõe a distribuição, a partilha dos resultados, o que contribui para diminuir a concentração de renda.” Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

REPRESENTATIVIDADE

“O movimento cooperativista brasileiro, atualmente, é um modelo fundamental para os demais países, considerando sua capacidade de desenvolvimento e organização.” Ramon Imperial, presidente da ACI Américas.

REPRESENTAÇÃO GLOBAL

“Somos mais de 3 milhões de cooperativas no mundo, geramos mais de 250 milhões de empregos e alcançamos resultados econômicos de US$3 trilhões. Ficamos muito silenciosos ao anunciar o impacto das nossas atividades na sociedade, mas precisamos anunciar ao mundo o que fazemos e faremos pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.” Monique Leroux, presidente da ACI.

SUSTENTABILIDADE

“Uma das formas de entender o significado de sustentabilidade é que ele diz respeito a um conjunto de atitudes que precisam ser tomadas para garantir a preservação do meio ambiente. As cooperativas já atuam nesse sentido e precisam continuar buscando alternativas para contribuir neste grande projeto dos ODS”. Eudes Freitas de Aquino, presidente da Unimed Brasil.

ONU E AS COOPERATIVAS

Logo após a abertura, ocorreu o painel Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Como o Cooperativismo Pode Proporcionar uma Nova Sociedade?. A apresentação do painel contou com a participação de Maxwell Haywood, diretor social da ONU, Geâne Nazaré Ferreira, gerente de Desenvolvimento Social de Cooperativas do Sescoop, e Monique Leroux, presidente da ACI.

Haywood salientou que as cooperativas precisam fortalecer suas capacidades. “O que faz as cooperativas estarem tão próximas da Agenda 2030 são suas características. Essa identidade não pode ser perdida”.

Geâne Nazaré Ferreira apresentou o projeto Dia de Cooperar (Dia C), iniciado em 2009 e que hoje corresponde a maior rede cooperativista de voluntariado do Brasil.

Ao final do painel, Haywood aderiu ao coro sobre disseminar mais o cooperativismo. “O movimento é tímido demais. A prioridade, na verdade, é trabalhar com foco nos dados baseados em evidências para, assim, divulgar o modelo eficaz que assegure o desenvolvimento sustentável e eduque a população. Essa identidade precisa ser melhor promovida.”

COOPS FOR 2030

O evento contou, ainda, com a apresentação do projeto Coops For 2030, realizada por Rodrigo Gouveia, diretor de Política da ACI. Ele abordou a atuação das cooperativas na Agenda 2030, ressaltando os objetivos em que elas podem atuar: erradicação da pobreza; melhorar o acesso em produtos e serviços básicos; proteção do meio ambiente; e a construção de um sistema alimentar mais sustentável.

“Temos que focar no que nos comprometemos a fazer, e não no que já fizemos. A ACI irá reunir essas atividades para traduzir na linguagem da ONU e apresentar o relatório no evento anual da organização, que acontecerá em julho, em Nova York.”

(Com informações do Sescoop/SP e da Comunicação da Unimed do Brasil)

Fonte: http://www.somoscooperativismo.coop.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.