Portal do Cooperativismo Financeiro Cooperativas de Crédito na França – Portal do Cooperativismo Financeiro

Cooperativas de Crédito na França

A França é hoje o país do mundo em que as instituições financeiras cooperativas apresentam maior participação no mercado financeiro. Através do Credit Agricole (23% de participação de mercado), Credit Mutuel (15%) e do BPCE (Banques Populaires e Grupo Caisse d’Epargne (22%)) a participação de mercado das Sociedades Cooperativas atinge 60%.

CoopCred_Franca_2013

O Credit Agricole, maior instituição financeira cooperativa do mundo foi fundado em 1897 e é um dos 10 maiores bancos do mundo em volume de ativos, com atuação em 3 países: França, Itália e Grécia.

Estima-se que na França 73% das agências bancárias pertençam aos grupos cooperativos e o número total de clientes (pessoas singulares e coletivas) dos grupos bancários cooperativos da França é superior ao número de habitantes do país. Isto ocorre porque muitos clientes têm múltiplas contas e porque também há operações internacionais.

De uma parceria do Grupo Caisse d’Epargne com o Banques Populaires surgiu o Banco Natixis que é atualmente o 2º maior banco francês, atuando em 68 países através de 22,6 mil funcionários.

CREDIT AGRICOLE
Site: http://www.credit-agricole.fr/

logo_CreditAgricoleO Crédit Agricole, maior banco francês, é também a maior instituição financeira cooperativa do mundo, tendo sido fundado em 1894 a partir de uma lei que criou bancos cooperativos locais, como solução para o problema de crédito dos agricultores. Daí a origem do nome Crédit Agricole, ou crédito agrícola. Em 1935, reagindo às dificuldades enfrentadas por algumas cooperativas, diante da crise de 1930, foi criado o fundo garantidor de depósitos. Durante a reconstrução da França no pós-guerra, o Crédit Agricole foi um grande agente de financiamento, o que fomentou seu crescimento nos anos seguintes.

O Crédit Agricole é uma organização de três níveis: 2.512 caisses locales, 38 caisses regionales (bancos cooperativos regionais) e o Banco Crédit Agricole S.A. Por meio da SAS Rue La Boétie (holding do grupo), os bancos regionais detêm 50% de participação no Banco Crédit Agricole S.A., instituição listada na Bolsa de Paris (Euronext Paris) e que atua como centralizadora financeira para o grupo. O Banco Crédit Agricole S.A. atua em mais de 70 países.

Os números apresentados na tabela 3.06 refletem o tamanho do Crédit Agricole na França, não estando incluídas as operações internacionais do Grupo Crédit Agricole. Quando considerados os dados mundiais, tem-se (base dez/2013): ativos de US$ 2,344 trilhões, empréstimos de US$ 1,133 trilhão, 11.300 agências e 49 milhões de clientes. A grande força do Crédit Agricole está no meio rural, onde se concentra a maior parte de seus pontos de atendimento. Em linhas gerais a penetração do Crédit Agricole nos diferentes públicos da França é a seguinte: 9 de cada 10 agricultores; 1 de cada 3 pessoas físicas; e 1 de cada 2 empresas são clientes.

Anualmente, os associados das caisses locales elegem os 32.000 dirigentes que integram a governança do Crédit Agricole. Também na linha da governança existe a Federação Nacional Crédit Agricole (FNCA), uma espécie de parlamento das caisses regionales.

CREDIT MUTUEL

logo_CreditMutuelA história do Crédit Mutuel iniciou-se em 1847, sob a liderança de Friedrich Wilhelm Raiffeisen, com o objetivo de combater a miséria no meio rural. Apesar disso, a primeira Caisse du Crédit Mutuel foi criada apenas em 1882. Atualmente, a Confederação Nacional Crédit Mutuel é formada por 18 federações regionais, constituídas por 2.129 caisses locales. A estrutura é descentralizada, existindo decisões locais, regionais e nacionais.

Ainda hoje, a organização está fortemente fundamentada nos princípios de Raiffeisen, entre os quais se destaca o fato de que os administradores (dirigentes eleitos) são voluntários, ou seja, não remunerados, e também o de que os resultados não são distribuídos aos sócios, mas reinvestidos no próprio negócio. Desde 1992, o Crédit Mutuel está autorizado a realizar operações de crédito com não-associados, o que representou um grande marco de crescimento para o negócio. Em 1998, com a estratégia de diversificação dos negócios, foi adquirido o Banco CIC, especializado em pessoas jurídicas. Já em 2008, a partir de um projeto de internacionalização do negócio e foco no crédito ao consumo, foram adquiridas as operações do Citibank na Alemanha.

Corporativamente, o conjunto das caixas locais (cooperativas) ligadas ao Crédit Mutuel detém cerca de 15% do mercado agrícola, em especial pela capilaridade da rede de atendimento, que viabiliza a prestação de serviços bancários em localidades muito pequenas. Inserido dentro do grupo formado pelo francês Crédit Mutuel, CIC (Crédit Industriel et Commercial) e Banque CIC (Suisse), e tendo uma empresa-mãe com uma forte rede internacional, o Crédit Mutuel denomina-se como o parceiro ideal para estrangeiros e para a realização de complexas operações bancárias. Enquanto o Crédit Mutuel tem sua atuação no meio rural, o Banque CIC atua com o público urbano.

Estruturalmente, o Crédit Mutuel assemelha-se muito aos sistemas cooperativos brasileiros, cabendo às cooperativas a efetiva realização dos serviços de natureza bancária, além do relacionamento com os associados. Às organizações de 2º e 3º graus cabem as funções de administração em escala dos recursos, desenvolvimento de produtos e serviços, TI, expansão, auditoria e controles, formação e desenvolvimento de pessoas e representação institucional.

BPCE – Banques Populaires et des Caisses d’Epargne

Site: http://www.bpce.fr

O BPCE surgiu no ano de 2009, durante a Crise Financeira Mundial, e é originário da fusão de Groupe Banques Populaires (BPG) e das Caisses d´Epargne18. O BPCE é a 2ª maior instituição financeira cooperativa do mundo, e é o 18º maior banco global em volume de ativos.

Em sua origem, as 17 Caisses d’Epargne (compostas por 230 Sociétes Locales d´Epargne) tinham como objetivo atender a pessoas físicas, sendo que no ano de 1818 o banco de poupança foi fundado em Paris para promover a captação e gestão de poupança das pessoas em geral. No início, as Caisses d’Epargne eram instituições privadas convencionais e, em 1999, transformaram-se em banco cooperativo.

Os Banques Populaires, em número de 19 bancos regionais, surgiram em 1878, fundados por empresários, e tinham como objetivo atender a pessoas jurídicas, reunindo fundos para financiar seus próprios projetos. Tornaram-se importantes players na economia da sua região, abrindo a movimentação para pessoas físicas em 1962. Em sua estrutura, existem também dois bancos nacionais: Casden Banque Populaire e o Crédit Coopératif.

Q_NATIXIS_10CMA aproximação entre os Banques Populaires e as Caisses d´Epargne se iniciou em 2006, com a criação da subsidiária Natixis, com o objetivo de integrar as redes de atendimento dos dois sistemas. O Natixis atua em cerca de 70 países e no Brasil opera no mercado segurador por meio da Coface (Compagnie Française d´Assurance pour le Commerce Extérieur), que ocupa uma reconhecida posição de liderança mundial em gerenciamento e soluções de crédito, atendendo no mundo a mais de 120 mil empresas de todos os portes, além de atuar junto a 45% dos 500 maiores grupos corporativos globais. Em julho de 2009, após o Natixis ter apresentado expressivas perdas com o escândalo de Bernard Madoff, os dois grupos fizeram a fusão de seus órgãos centrais, surgindo assim o segundo maior grupo bancário francês.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.