4 Comentários em Boas práticas que desafiam o cooperativismo de crédito brasileiro

  1. Parabenizo o amigo cooperativista Enio Meinen pela clareza na exposição das idéias e do ponto de vista. Precisamos evoluir em muitos assuntos no Cooperativismo de Crédito brasileiro, notadamente na cooperação inter-sistêmica. A cooperação não se dá apenas entre associados, mas também deve ocorrer entre cooperativas, entre centrais, entre estados, e entre diferentes sistemas. Juntos e organizados podemos ser mais fortes para fazer frente aos grandes bancos brasileiros e aí sim conquistar os dois dígitos na participação de mercado.

  2. Não deveria nos surpreender ver colocações tão claras como as citadas em mais essa obra prima do nosso colega Ênio Meinen. É um grande privilégio poder dividir cotidianamente os nossos desafios profissionais no campo de batalha do cooperativismo de crédito brasileiro com um profissional com tamanha proficiência no tema.
    Cabe agora a todos nós, em especial àqueles que ocupam posições de maior protagonismo no âmbito dos sistemas de crédito cooperativo, aproximar as “dicas” do nosso colega do nosso dia-a-dia.

  3. Parabéns conterrâneo!
    A leitura de tal esplanação clara e objetiva fazem parte deste perfil tão peculiar que é o seu!
    Obrigada por compartilhar mais esta pérola!

  4. Grande Colorado, parabéns pela sapiência e inspiração ao escrever este texto, foste brilhante, guardo para mim e compartilho por onde passo o teu último parágrafo e quando indagado pela OCB porque não avançamos com mais velocidade na participação de mercado, minha resposta foi FALTA ATITUDE, os meios já existem, o espectro normativo é amplo, os apoios são grandes, de novo FALTA ATITUDE. Mas chegaremos lá. Um grande abraço.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.