12º Concred – protagonismo na era tecnológica

Andar a passos largos e precisos é o que tem trazido crescimento e notoriedade ao cooperativismo de crédito, fato que se confirma no 12º Concred.

Um estudo divulgado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), em janeiro deste ano, revela que 45% dos brasileiros não fazem um controle efetivo do próprio orçamento. O levantamento revela, ainda, que a maior parte dos consumidores garante ser autodidata quando o assunto é ‘conhecimentos para gerir o próprio dinheiro’. Enquanto 45% alegam que aprenderam sozinhos, apenas 9% dizem que fizeram cursos e 6% que recorreram a algum especialista.

A educação financeira é um dos temas mais debatidos na atualidade, considerando que o Brasil vem enfrentando crises políticas e econômicas há pelo menos quatro anos. E o número de brasileiros desempregados já chega a 12,5 milhões, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no final de outubro, quadro que agrava cada dia mais o índice de inadimplência no País. É em meio a este cenário que as cooperativas de crédito têm encontrado espaço para crescer, sobretudo pela formação de clientes mais conscientes e pela oferta de produtos customizados, mostrando que economia não é um ‘bicho de sete cabeças’.

Esse movimento do setor é tema central no debate do 12º Concred – Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito, e permeará todas as ações do evento com a proposta de trazer respostas sobre como definir a melhor estratégia para superar os desafios da atualidade, ser protagonista em uma ‘era da mudança’ e ganhar vantagem competitiva frente ao mercado tradicional. Protagonismo e sinergia são os assuntos que guiarão as discussões a fim de identificar lacunas e encontrar soluções em prol do desenvolvimento do SNCC (Sistema Nacional de Crédito Cooperativo). “A temática estimula a conversa sobre o papel do cooperativismo financeiro, suas virtudes e oportunidades em um ambiente em constante mutação, seja nos negócios, seja no comportamento do cooperado, seja na intervenção dos agentes externos na dinâmica das relações cooperativa/cooperados”, comenta Kedson Macedo, presidente da Confebras (Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito), entidade responsável pelo evento.

O primeiro passo deste caminho foi dado com a parceria entre Confebras, FintechLab e Torq na criação do espaço FintechCoop Lab. A proposta desta união é dar a oportunidade aos presentes de conhecerem tendências tecnológicas de startups com expertise no desenvolvimento de produtos e serviços para o mercado financeiro e promover a aproximação e a conexão entre o ambiente das startups e o mundo cooperativista. Ao todo são 12 empresas expositoras, escolhidas por meio de um processo criterioso que visava a soluções que podem se encaixar nas necessidades das cooperativas: Fittibank, BLU365, F(x), Exchange Now, Monkey, Mutuus, IOUU, FullFace, Inngage, Moneto, CredMobi, PAGHIPER e ATTA. Além do espaço de exposição, todas terão oportunidade de participar da Estação HighTech, com apresentações sobre suas soluções.

“Após a confirmação dos primeiros unicórnios brasileiros [startups com valor superior a US$1 bilhão], as fintechs se mostraram capazes de competir de igual para igual com os grandes bancos, por isso trouxemos esse setor para dentro do cooperativismo”, ressalta Macedo, complementando que entre outros atributos, o que clientes, usuários e consumidores buscam no seu relacionamento com o mercado é simplicidade, facilidade, agilidade, acessibilidade, economia, racionalidade, qualidade, inovação, segurança e sustentabilidade. “Tais características se tornaram condições essenciais para o sucesso dos negócios, sobretudo no segmento cooperativista-financeiro. E as fintechs e startups – por seu modelo atual e inovador, sustentado na tecnologia – têm se mostrado grandes aliadas das instituições financeiras para vencer estes desafios.”

48 horas de negócios

Além das palestras e painéis temáticos nacionais e internacionais que debaterão o futuro do cooperativismo de crédito, o Concred ainda proporcionará aos participantes oportunidades de negócios e networking, que serão importantes pilares complementares do tema central do evento. O Encontro de Negócios e Oportunidades é uma das iniciativas da organização com o propósito de aproximar ofertantes e demandantes de produtos e serviços de cooperativas de crédito. Serão 12 sessões de negociação por dia, com duração de 20 minutos cada.

Paralelo ao projeto, acontece a Feira de Negócios Cooperativistas, que segue a mesma proposta de geração de novas parcerias. “Em 2018, esta será a melhor arena para apresentar e fortalecer a marca das organizações a um público qualificado, sedento de bons relacionamentos e negócios”, ressalta o presidente da Confebras. “É nesse espaço que as empresas poderão mensurar as novas demandas do mercado cooperativista-financeiro, identificar tendências e oportunidades ainda não percebidas e reunir informações para articular os próximos passos do seu negócio.”

Em 2018, o 12º Concred acontecerá entre os dias 21 e 23 de novembro, com o tema central: “Cooperativismo de Crédito: Protagonismo e Sinergia em Cenários de Mudança”. A temática estimula a discussão sobre o papel do cooperativismo financeiro, suas virtudes e oportunidades, em um ambiente de constante mutação, seja nos negócios, seja no comportamento do cooperado, seja na intervenção dos agentes externos na dinâmica das relações cooperativa/cooperados.

Acesse o site do evento: confebras e mundocoop.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*