Pela 7ª vez seguida, Copom mantém juro básico da economia estável em 6,50% ao ano

Na primeira reunião do governo Bolsonaro, taxa Selic continua no menor patamar da série histórica. Mercado financeiro não prevê aumento de juros neste ano.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu nesta quarta-feira (6) manter os juros básicos da economia estáveis em 6,50% ao ano.

Foi a sétima manutenção seguida da taxa Selic, que segue no menor patamar da série histórica, que começa em 1986.

A decisão confirmou a expectativa dos analistas do mercado financeiro, que nesta semana também deixaram de prever aumento da taxa no decorrer de 2019.

Essa deverá ser a última reunião do Copom comandada por Ilan Goldfajn. Ele deve ser substituído na presidência do Banco Central por Roberto Campos Neto, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro. Para que Campos Neto assuma o cargo, é preciso que o nome dele seja aprovado pelo Senado.


Fonte: Banco Central

O Banco Central informou que a manutenção da taxa de juros é condizente com as metas de inflação para 2019 e para 2020. E que a “cautela” de suas decisões “têm sido úteis” na busca pelo cumprimento dessas metas.

Por fim, a instituição projetou que a inflação ficará em 3,9% em 2019 e 3,8% em 2020, ou seja, em linha com as metas de inflação predefinidas.

Ranking mundial de juros

Com a manutenção de juros, o Brasil foi do sexto para o sétimo lugar no ranking mundial de juros reais (calculados com abatimento da inflação prevista para os próximos 12 meses), compilado pelo MoneYou e pela Infinity Asset Management.

Com os juros básicos em 6,5% ao ano, a taxa real do Brasil é de 2,38% ao ano, ficando atrás da Turquia (5,88% ao ano), Argentina (4,92% ao ano), México (4,22% ao ano), Rússia (3,88% ao ano), Indonésia (3,74% ao ano) e Índia (3,13% ao ano). Em 40 economias pesquisadas, os juros médios estão em 0,16% ao ano.

Fonte: g1.globo.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*