O novo sentido da economia local, por Márcio Port

As últimas décadas foram marcadas pelo fortalecimento de uma economia globalizada, em que relações comerciais extrapolavam fronteiras e criavam fluxos econômicos complexos entre países. Em dezembro de 2019, depois do primeiro alerta emitido na China, observamos um efeito dominó: a chegada de um inimigo invisível, capaz de causar uma crise econômica e social no Brasil e no mundo. Se há meses, os centros de poder econômico eram as maiores metrópoles do planeta, hoje, eles podem estar nas mãos das comunidades, que, juntas, terão um papel fundamental na retomada da economia após a crise causada pelo novo coronavírus.

Essa realidade ganha força com dados do Sebrae, uma vez que mais de 90% das empresas do País pertencem a micro ou pequenos empreendedores e representam mais da metade dos empregos formais. Nesse sentido, o que o cooperativismo pratica há mais de um século no Brasil – o apoio ao desenvolvimento e à economia locais – ganha, nos dias de hoje, um novo sentido: a oportunidade de dar protagonismo na recuperação da capacidade produtiva da economia.

Nessa perspectiva, é necessário que as pessoas valorizem e consumam o que é produzido e comercializado na sua própria região.

Este olhar é fundamental para colocar a engrenagem econômica em funcionamento novamente, gerando renda, empregos, faturamento, impostos e novos investimentos, além de permitir que os recursos sejam reinvestidos na mesma região. É em momentos desafiadores, como o que vivemos desde março, que o ciclo virtuoso propiciado pelo consumo local ganha mais sentido, tornando os negócios locais mais fortes. Todos nós, brasileiros, do campo e da cidade, de realidades urbanas ou rurais, somos responsáveis por buscar alternativas para vencermos as consequências da Covid-19. É preciso desenvolver um comportamento coletivo de valorização da economia local. Nunca a palavra “juntos” fez tanto sentido. Juntos, somos mais fortes. Essa é nossa essência e o Sicredi faz a sua parte há mais de 117 anos.

========

Por Márcio Port, Vice-Presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste

Fonte: Zero Hora RS – edição de 29/05/2020

 

2 Comentários

  1. Estamos juntos nesta. Também entendo que a forma mais eficaz de nos reerguermos deste momento difícil e a inclusão de todos os atores da economia, especialmente os que estão mais perto da ponta.

  2. Nesse momento tão desafiador, privilegiar os negócios locais é um gesto importantíssimo para cuidarmos das nossas comunidades. Excelente texto, Márcio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*