Sistema Unicred SC/PR doa R$ 1 milhão em testes da Covid-19

Distribuição dos 10.500 kits beneficia secretarias municipais de saúde e hospitais.

As cooperativas que fazem parte do sistema Unicred SC/PR realizaram a aquisição de 10.500 testes para a Covid-19 que serão distribuídos, de acordo com decisão dos Conselhos de Administração, aos municípios. A ação está alinhada aos princípios cooperativistas de atenção à comunidade e auxiliará no mapeamento da doença. O novo coronavírus já infectou mais de 9 milhões de pessoas em todo o mundo com 470 mil óbitos.

Os testes rápidos serão distribuídos pela Unicred Coomarca, Unicred Florianópolis, Unicred Vale Europeu, Unicred Sul Catarinense, Unicred União, Unicred Desbravadora Sul e a própria Central, a Unicred SC/PR. A intenção com a aquisição de quase R$ 1 milhão é contribuir com o poder público no mapeamento da doença e nas medidas de controle sanitário. “Esses testes são capazes de apontar tanto uma infecção recente pelo vírus quanto uma infecção ocorrida em momento anterior e que não está mais ativa, e são fundamentais para entender como disseminação da doença está ocorrendo. O nosso intuito é contribuir com o sucesso da sociedade no enfrentamento desta pandemia”, pontua o presidente da Unicred SC/PR, Dr Remaclo Fisher. Cada uma das cooperativas ficará responsável por definir como será realizada a entrega dos testes que deve ocorrer, majoritariamente, em hospitais e secretarias municipais de saúde.

Como funcionam os testes rápidos

Capazes de detectar a resposta do organismo ao novo coronavírus, apontando a presença dos anticorpos IgM e IgG, os testes rápidos devem ser aplicados em pessoas que manifestaram sintomas semelhantes aos da Covid-19 há pelo menos oito dias antes da testagem. Essa precaução reduz as chances de falso-negativo. A coleta do sangue é feita por um profissional da saúde por meio de uma leve picada em um dos dedos da mão. O material é analisado e em minutos o resultado fica pronto. “É importante ressaltar que o objetivo dessa testagem não é apenas de diagnóstico, mas sim de mapeamento. Com a aplicação massiva deste tipo de teste é possível compreender como está o status imunológico de cada região”, salienta o presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*