Revitalização da Caixa Rural de Nova Petrópolis promove a cultura cooperativista através de história e inovação

MundoCoop – A palavra cultura sempre despertou a reflexão a respeito de seus significados, conseguindo despertar diferentes interpretações perante diversas realidades. A cultura traduz costumes, tradições, histórias e comportamentos de inúmeras pessoas, mas, principalmente, representa um importante instrumento de transformação da sociedade, sendo capaz de contribuir para a formação do cidadão e para o desenvolvimento do senso crítico individual e coletivo.

O estímulo a cultura é algo inerente ao ser humano, mas para garantir sua continuidade e poder de mudança, seu incentivo tem se tornado uma causa a ser valorizada por quem promove constantemente a manutenção das comunidades. Como é o caso do cooperativismo.

Esse movimento centenário é conhecido por unir perfeitamente sua história com uma visão de futuro, sempre através da disseminação de uma cultura transformadora. E foi pensando em dar continuidade a esse trabalho que surgiu a iniciativa de revitalizar o edifício da antiga Caixa Rural, pioneiro para o cooperativismo de crédito na América Latina, localizado no sul do país.

O impacto da iniciativa

Berço do progresso socioeconômico, a Caixa Rural de Nova Petrópolis foi a primeira sede própria da Sicredi Pioneira RS, inaugurada em 1954, foi declarada Patrimônio Tombado do Município de Nova Petrópolis, em 2013, e atualmente abriga o Memorial do Padre Amstad.

A partir de agora, o projeto visa criar um novo espaço dinâmico de aprendizagem voltado para a educação cooperativista, atendendo aos diferentes segmentos do cooperativismo, e um ambiente convidativo para ações culturais, se tornando uma representação do legado do movimento que sempre incluiu pessoas e promoveu a coletividade.

O lançamento do restauro aconteceu no dia 1º de dezembro de 2019 e o andamento do projeto tem excedido as expectativas. A especialista em Políticas e Gestão Cultural a frente do planejamento, Cristina Schneider, conta que a primeira etapa do projeto está prevista para ser inaugurada em julho de 2021, onde a parte de baixo do edifício poderá ser utilizada como agência. Cristina também explica que a segunda etapa já está sendo encaminhada e irá possibilitar a abertura e utilização do edifício como um todo, porém essa etapa ainda não possui data final definida. “A adequação vai atender às expectativas nas atividades da Casa Cooperativa, mas também às demandas da comunidade. Todo o núcleo no entorno, que é formado por inúmeras associações, também terá um espaço para acessar a cultura e produzir conhecimento. E isso vai se dar tanto pelas atividades propostas lá dentro quanto pelas demandas que vão vir da própria comunidade”, acrescenta.

Além de ser um marco cooperativista para a região, e consequentemente para o país, a inciativa ainda é fruto da contribuição de quem atua diariamente no movimento. Todo processo de planejamento e execução dessa mudança conta com a importante participação das Cooperativas Piá e Aliança, que estão apoiando o projeto através de Lei de Incentivo à Cultura.

Um presente para a comunidade

Entre os destaques de novidades previstas está o inovador arquivo histórico do local. O espaço pretende contar, de forma lúdica e interativa, a história de como o cooperativismo impulsionou o desenvolvimento de uma região colonial que contava, na época, com pouco acesso a ferramentas de desenvolvimento econômico e social. “A restauração é uma iniciativa que valoriza a nossa cultura e fortalece nosso propósito de desenvolver as comunidades em que estamos inseridos”, ressalta Heloisa Helena Lopes, Vice-Presidente da Sicredi Pioneira e Diretora Executiva da Casa Cooperativa.

Conforme destaca Mário José Konzen, Presidente da Casa Cooperativa, entidade que está realizando o Projeto, “o restauro desse prédio formará um local especial e inspirador para o desenvolvimento e conhecimento da história cooperativista e a educação relacionada a cooperação. A energia cooperativista é muito forte neste entorno e um espaço adaptado será ainda mais grandioso e emocionante ao poderem lembrar uma história construída por seres humanos que sem medir esforços deixaram seu legado e formando uma verdadeira Catedral do Cooperativismo”.

Além de juntar esforços em prol do desenvolvimento econômico e social, a importância desse projeto está fortemente vinculada a preservação da memória coletiva, reforçando o impacto de um movimento que envolve milhões de pessoas no mundo inteiro e que está cada vez mais ganhando espaço na sociedade. “Essa edificação em especial vai fazer parte o roteiro turístico que já é tão importante em Nova Petrópolis. E, do ponto de vista social, vai promover a valorização da história dessas comunidades que há mais de 100 anos fizeram a diferença no desenvolvimento econômico que ainda hoje são responsáveis pela boa pela excelente qualidade de vida dessas populações”, acentua Cristina.

Toda obra no prédio está sendo compartilhada publicamente através da página “Restauro e Readequação da Caixa Rural” no Facebook.


Por Fernanda Ricardi – Redação MundoCoop

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*