Restituição do Imposto de Renda: especialista ensina formas de usar o seu dinheiro de forma inteligente

Quitar dívidas e começar uma reserva de emergência são boas opções.

Já começou, e segue até setembro, o período de restituição do Imposto de Renda. O valor acaba sendo muito aguardado, mas é importante ficar atento para aproveitar bem o dinheiro extra e não gastar tudo comprando coisas que não trarão retorno.

“Ainda vivemos um momento delicado na economia devido à pandemia. Por isso, a dica é aproveitar para reorganizar a vida financeira, quitar dívidas e começar a fazer uma reserva de emergência. Quem está mais tranquilo pode investir em algo pessoal como a troca do carro, cursos ou uma viagem para um futuro pós-pandemia”, ensina Angela Kuhnen da Silveira, especialista da área de Investimentos do Sistema Ailos.

Uma boa dica é começar a realmente investir utilizando o valor de restituição do IR. Muitas pessoas acreditam que fazer investimentos requer uma grande quantia em dinheiro, porém isso não é verdade. Com um valor pequeno já é possível começar a fazer um investimento.

“Esse pode ser o primeiro passo também para criar o hábito de poupar, já pensando na realização de projetos futuros”, explica Angela.

Quitando dívidas e poupando para emergências

É importante ter bastante atenção para utilizar a restituição do Imposto de Renda da melhor forma possível, atendendo suas necessidades pessoais. Para quem tem dívidas, por exemplo, o recurso é uma ótima oportunidade para reorganizar as finanças e sair do vermelho. Priorizar as contas com maior incidência de juros e negociar descontos à vista são as melhores opções.

“Para quem está com a vida financeira em dia, a dica é iniciar ou aumentar os investimentos. Para quem ainda não tem esse hábito, o primeiro passo é formar uma reserva de emergência, um valor de segurança para imprevistos. A reserva deve corresponder ao valor de três a seis meses do custo fixo mensal, que são despesas domésticas e contas fixas. O próximo passo é diversificar os investimentos, pensando em uma reserva de oportunidades e/ou aumento de capital. Neste momento, o mais importante é pensar neste valor como uma oportunidade para ter tranquilidade em relação ao futuro, e não um dinheiro para ser gasto sem necessidade”, explica a especialista.

Sobre o Ailos
Constituído em 2002, o Ailos é um Sistema de Cooperativas de Crédito e conta com mais de 1 milhão de cooperados, uma cooperativa central, 13 cooperativas singulares, mais de 200 postos de atendimento e mais de R$ 12 bilhões em ativos. Com atuação nos três estados do Sul do país, possui cerca de 4 mil colaboradores, contribuindo e promovendo o crescimento sustentável e desenvolvimento social das comunidades onde atua. As cooperativas singulares que compõem o Ailos são: Acentra, Acredicoop, Civia, Credcrea, Credelesc, Credicomin, Credifoz, Crevisc, Evolua, Transpocred, Únilos, Viacredi e Viacredi Alto Vale.

Compartilhe a notícia:
5k
fb-share-icon15000
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*