Portal do Cooperativismo Financeiro Sicredi apresenta o seu primeiro Relatório de Sustentabilidade - Portal do Cooperativismo Financeiro

Sicredi apresenta o seu primeiro Relatório de Sustentabilidade

Publicação atende aos princípios da boa governança corporativa e integra a Política de Sustentabilidade do Sistema

Mais do que uma associação de pessoas, as cooperativas de crédito do Sicredi são agentes promotores do desenvolvimento social e econômico das comunidades onde atuam e estão comprometidas com a proteção e o respeito ao meio ambiente. Para consolidar e aperfeiçoar suas iniciativas socioambientais, o Sicredi lança o primeiro Relatório de Sustentabilidade. A publicação atende aos princípios da boa governança corporativa, integra a Política de Sustentabilidade e representa um importante instrumento de comunicação com os seus principais públicos.

A Política de Sustentabilidade do Sicredi, criada em 2011, faz parte do Planejamento Estratégico 2011-2015 e visa gerar direcionamento para explicitar as boas práticas sustentáveis desenvolvidas pelo Sicredi e aprimorar sua atuação, além de procurar envolver cada vez mais seus públicos de relacionamento. O registro e o acompanhamento da efetiva implantação da Política serão feitos por meio do Relatório, elaborado com base nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) – instituição não governamental internacional com sede na Holanda, que desenvolve e dissemina diretrizes para a elaboração de relatórios de sustentabilidade utilizadas voluntariamente por empresas do mundo todo.

O Relatório de Sustentabilidade do Sicredi atende aos requisitos para o nível C (autodeclarado) da GRI. O Sicredi respondeu a 53 indicadores: 30 de perfil e governança e 23 de desempenho, sendo três deles integrantes do suplemento setorial da GRI para o setor financeiro. A produção e o desenvolvimento do Relatório teve consultoria externa da Report Sustentabilidade.

Segundo o presidente executivo do Sicredi, Ademar Schardong, o Relatório é um importante passo em direção às melhores práticas que preconizam a sustentabilidade e a governança corporativa. “Sustentabilidade é algo que não se constrói com pressa. Precisamos debater as formas, os procedimentos e de que maneira cada um contribuirá para satisfazer as necessidades atuais, das próximas gerações e do nosso próprio empreendimento cooperativo“, complementa Schardong.

SUSTENTABILIDADE NO DIA A DIA

A Política de Sustentabilidade do Sicredi está baseada em três eixos:

  • inserir princípios socioambientais no portfólio de produtos e serviços;
  • tratar de questões de sustentabilidade nas compras e contratação de serviços, no cumprimento a normas do setor e na ecoeficência e
  • fomentar o desenvolvimento de programas de educação financeira e sensibilização em sustentabilidade para os públicos de relacionamento.

Entre as iniciativas já implantadas em produtos e serviços estão as ações de inclusão e educação financeiras e microcrédito, além de um conjunto de linhas de crédito socioambientais com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Sicredi fomenta a inclusão financeira, especialmente de pequenos municípios. É a única instituição financeira existente em 235 cidades brasileiras (segundo o Banco Central do Brasil – Bacen), atendendo mais de 260 mil associados com soluções financeiras personalizadas. Por meio de seus produtos e serviços, promove a formalização de atividades, o resgate da cidadania, a geração de empregos, o aumento da renda e mais oportunidades de acesso ao crédito.

Um sistema ecoeficiente produz mais e melhor, com menores quantidades de resíduos. Com o objetivo de gerar um menor impacto ambiental, o Centro Administrativo Sicredi (CAS), em Porto Alegre (RS), adota diversas ações de ecoeficiência, como otimização de processos, inovações tecnológicas e economia no uso de recursos naturais e materiais. Um exemplo disso é a atenção especial dada ao controle e a gestão do consumo do papel na área de Seguros, por meio de práticas tais como o uso de e-mails em substituição às correspondências impressas. Documentos também passaram a ser enviados por correio eletrônico. Estima-se que, entre 2011 e 2012, deixaram de ser impressas 25,7 mil páginas.

Destacam-se, ainda, entre outras iniciativas: aproveitamento de água da chuva, substituição de torneiras; uso de lâmpadas LED em locais de trabalho 24h; medição de consumo de energia pelo Datacenter; adoção de um sistema de compostagem e um software para a gestão da ecoeficiência, que será utilizado a partir de 2013.

DESEMPENHO E GOVERNANÇA

O Sicredi encerrou 2012 com R$ 31,3 bilhões de ativos totais, o que representa um crescimento de 20% sobre 2011. Foram apurados R$ 4,5 bilhões em patrimônio líquido, 27% a mais em relação ao período anterior, e R$ 20 bilhões em depósitos totais, crescimento de 23%. As sobras totalizaram R$ 671 milhões. Estes resultados refletem uma atuação focada no atendimento às necessidades financeiras dos associados, por meio de uma ampla oferta de produtos e serviços.

A governança corporativa do Sicredi está em constante aprimoramento para assegurar boas práticas de gestão. O Conselho de Administração da SicrediPar, entidade máxima da instituição, tem o assessoramento permanente de comitês: Auditoria e Compliance; Estratégico e de Acompanhamento; de Riscos; de Fundos Garantidores e de Pessoas e Conduta. A fim de mitigar os riscos inerentes à sua atividade, cada operação financeira tem seus riscos avaliados de acordo com a sua complexidade e com as regras do Sistema Financeiro Nacional (SFN). São avaliados os riscos de crédito, liquidez, mercado e operacional.

Em 2012, foi criado o Regulamento de Risco Socioambiental para analisar os riscos socioambientais. O documento, que deve entrar em vigor em 2013, estabelece diretrizes para a concessão de crédito. A análise dos riscos climáticos também é feita periodicamente, além do trabalho de conscientização com os associados.

PESSOAS

Além das metas propostas pelo Planejamento Estratégico para 2013, o Sicredi pretende ampliar sua linha de produtos e expandir ainda mais o quadro de associados, por meio da busca de novos mercados e da fidelização dos atuais, mantendo também o foco na gestão de pessoas. O modelo de gestão cooperativo reconhece, capacita e oferece oportunidades de crescimento profissional aos colaboradores. No Sicredi, 80% dos cargos de gestão são ocupados por pessoas que cresceram profissionalmente na instituição. A contratação local de colaboradores gera emprego nas comunidades onde o Sicredi está presente, 76% da alta gerência (diretores, superintendentes e gerentes) são provenientes da comunidade local.

Reflexo da importância dada aos colaboradores, em 2012 o Sicredi integrou, mais uma vez, o guia “As Melhores Empresas para Você Trabalhar“, elaborado pela revista Você S/A em parceria com a FIA (Fundação Instituto de Administração). No ranking, o Sicredi obteve o índice de Felicidade no Trabalho (IFT) de 77,9 e ficou entre as 150 melhores empresas nas quais as pessoas desejam trabalhar. O Sicredi foi ainda destaque pelo investimento no desenvolvimento dos colaboradores – R$ 20 milhões em 2012.

DESENVOLVIMENTO LOCAL

A atuação da instituição financeira cooperativa prioriza a especificidade da região. Neste contexto, o microcrédito tem papel fundamental e inclusivo ao permitir que os associados tenham acesso ao capital de baixo valor que possibilite o investimento necessário para sua capacidade competitiva. No Sicredi, o microcrédito é um produto que atende pessoas físicas de baixa renda e empreendedores de pequeno porte e contribui para o desenvolvimento sustentável, pois, além de manter o homem no campo e na sua comunidade, melhora a qualidade de vida das pessoas envolvidas. Para a concessão do crédito, além da avaliação de riscos inerente aos negócios, são analisados os impactos ambientais da operação.

O Sicredi também oferece uma série de linhas de financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para ampliação, implantação e melhoria das instalações ou da capacidade produtiva. O BNDES determina quais questões ambientais e sociais devem ser avaliadas. O Sicredi, em seu papel de agente de repasses, exige que os associados tenham sua situação regularizada em meio aos órgãos ambientais e acompanha o cumprimento das normas durante toda a vigência da operação.

No Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o Sicredi é o maior agente privado brasileiro em valores e em número de operações – R$ 1,5 bilhão em mais de 97 mil operações. O Pronaf tem como objetivo a disponibilização de recursos aos financiamentos dos produtores familiares em suas diversas atividades agropecuárias e não agropecuárias desenvolvidas na propriedade rural ou fora dela. Por ser voltado às unidades familiares de produção, adequado à realidade de cada uma delas, além de contar com as mais baixas taxas de juros de financiamento rural, é um importante instrumento na concessão de crédito para os associados Sicredi.

A íntegra do Relatório de Sustentabilidade do Sicredi, em PDF, está disponível no site www.sicredi.com.br – Conheça o Sicredi.

Fonte: Sicredi

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.